Gatos8 minutos leitura
O que deve saber sobre a alimentação dos gatos idosos e outros cuidados a ter na fase sénior

O que deve saber sobre a alimentação dos gatos idosos e outros cuidados a ter na fase sénior

A partir dos 7 anos de idade, os gatos são considerados seniores. Nesta fase, começam a apresentar algumas mudanças físicas e comportamentais que influenciam a sua rotina de cuidados. Neste artigo, iremos abordar a alimentação do gato idoso e outros cuidados a ter na fase sénior para garantir uma boa manutenção da qualidade de vida do seu animal de estimação.

O envelhecimento é um processo natural que se faz acompanhar de algumas mudanças. Nem sempre as condições que afetam os gatos idosos podem ser corrigidas, mas em grande parte, podem ser controladas.

O segredo para que o seu gato idoso tenha uma boa velhice é, no fundo, simples. Além de garantir os cuidados de saúde e bem-estar necessários para minimizar as limitações típicas do avançar da idade, esteja presente! O afeto continua a ser de extrema importância para uma vida feliz e saudável.

No final da leitura deste artigo, ficará a saber mais sobre: 

  • Como deve ser a alimentação dos gatos idosos;

  • Os cuidados de saúde a ter com os gatos idosos;

  • Os cuidados de bem-estar a ter com os gatos idosos. 

Uma alimentação ajustada às necessidades do gato idoso é uma aliada para a sua saúde

Como deve ser a alimentação dos gatos idosos?

Uma nutrição adequada é fundamental para garantir uma vida longa e saudável para o seu animal de estimação. Ao adaptar a alimentação do gato às diferentes fases da sua vida, assegura que o animal recebe os nutrientes que precisa.  

Neste sentido, a alimentação dos gatos idosos deve ter em conta as mudanças físicas desta fase, mas também as comportamentais. O objetivo é evitar possíveis desequilíbrios nutricionais, através de uma dieta adaptada às suas reais necessidades.

Através de uma dieta específica para os gatos idosos, é possível:

  • promover a saúde global;

  • atrasar a progressão de doenças relacionadas com o envelhecimento.

Veja agora como ajustar a alimentação às alterações comportamentais e físicas da fase sénior:

Adaptar a alimentação do gato idoso às mudanças comportamentais e físicas

Nesta fase, o ritmo das atividades do gato é reduzido, o que se traduz num menor gasto de energia. Com vista a evitar um possível aumento de peso, a alimentação dos gatos seniores deve ser menos calórica.

O envelhecimento nos gatos pode trazer algumas alterações físicas relacionadas com a diminuição do olfato e do palato. Também poderá notar dificuldade em mastigar, devido a possíveis problemas dentários, como gengivite ou desgaste dos dentes.

As consequências possíveis são a diminuição do apetite, o que pode levar à perda de peso e, em casos mais graves, a uma saúde debilitada.  

Com vista a evitar este cenário, procure: 

  • Incluir na alimentação do gato idoso a ração húmida

Os alimentos húmidos são bastante atrativos tanto ao nível do cheiro quanto do sabor. Também facilitam a mastigação e contribuem para aumentar a ingestão de água.

  • Humedecer a ração seca

A ração seca humedecida com água morna torna o cheiro do alimento mais intenso e, na medida em que amolece os grãos, confere uma textura mais branda, na medida em que amolece os grãos, oferecendo benefícios semelhantes ao da ração húmida.

Lembre-se ainda de promover, de forma regular, a ingestão de água, fundamental para o bom funcionamento do sistema digestivo e do trato urinário dos gatos. 

Adaptar a alimentação do gato idoso às condições de saúde

A alimentação do gato idoso é também influenciada pela sua condição de saúde. À medida que a idade avança, os gatos podem apresentar problemas renais ou dificuldades digestivas.

A alimentação dos gatos idosos com problemas renais deve apresentar um baixo teor de fósforo e deve ser dada especial atenção à ingestão de água, com vista a promover a saúde do trato urinário.

Já nos gatos com dificuldades digestivas, nutrientes como a gordura e a proteína devem apresentar uma elevada digestibilidade e palatabilidade. 

Saiba como garantir a correta alimentação do gato idoso

As rações específicas para gatos seniores disponíveis no mercado podem ser uma boa opção, na medida em que são formuladas para fornecer ao animal todos os nutrientes necessários para esta fase da vida. No entanto, é necessário que saiba analisar e comparar as informações nutricionais fornecidas pelos fabricantes.

Para garantir que faz as escolhas mais acertadas, aconselhamos que consulte um médico veterinário que saberá indicar qual é a dieta mais adequada para o seu gato. 

Durante a consulta de nutrição, o médico veterinário terá em conta, além da idade do seu gato, outros fatores importantes como:

  • a raça;

  • o porte;

  • o peso;

  • condições de saúde.

Todos estes fatores conjugados influenciam a alimentação do gato idoso, sendo a sua análise fundamental para a elaboração de um plano nutricional personalizado.

Além da alimentação, existem outros cuidados que contribuem para o bem-estar dos gatos idosos, veja:

Como garantir a saúde e bem-estar dos gatos idosos?

Com os cuidados certos, muitas das limitações originadas pela velhice podem ser minimizadas. 

Além da alimentação dos gatos idosos, existem outros cuidados que ajudam a manter o seu gato saudável e mais feliz.

Cuidados de saúde para o gato idoso

Entre os cuidados relacionados com a saúde, destacamos:

Consultas regulares:

A ida regular ao médico veterinário, para avaliação geral do estado clínico é fundamental para diagnosticar de forma precoce possíveis problemas. Quanto mais cedo uma doença é diagnosticada, maiores são as probabilidades de cura. 

Lembre-se que, à medida que envelhece, o organismo do seu gato torna-se mais frágil. Aconselhamos um check-up a cada 6 meses, incluindo um check-up dentário e análises de sangue e de urina.

Estas consultas regulares são importantes porque, à medida que envelhecem, os gatos apresentam uma maior predisposição para desenvolver doenças como: osteoartrite, problemas renais, problemas cardiorespiratórios, hipertiroidismo, cataratas, doenças orais, entre outros. 

Vacinação e desparasitação:

Um plano de vacinação eficaz ajuda a garantir mais saúde para o seu gato idoso. O mesmo acontece quando o esquema de desparasitação é traçado à medida das necessidades do seu animal de estimação.

Ao garantir o cumprimento da vacinação e da desparasitação do seu gato idoso, evita complicações de saúde relacionadas com doenças que podem ser prevenidas e protege o seu animal de parasitas internos e externos. E todos são beneficiados: gatos e tutores.

Aconselhamento Veterinário:

Aproveite as consultas veterinárias para esclarecer as suas dúvidas e converse com o médico veterinário sobre a melhor forma de cuidar do seu gato.

Vigilância: 

Preste atenção ao comportamento do seu gato, com vista a identificar sinais que podem sugerir possíveis problemas. Deixamos aqui, alguns dos sinais que, quando verificados, devem ser reportados ao médico veterinário:

  • Perda ou aumento de peso;

  • Diminuição da micção;

  • Feridas que não cicatrizam ou outros tipos de lesões na pele;

  • Dificuldades em comer;

  • Diarreia ou sangue nas fezes;

  • Gengivas inchadas, vermelhas ou com sangramento;

  • Corrimento nasal ou ocular;

  • Vómitos;

  • Tosse.

Cuidados de bem-estar para o gato idoso

Entre os cuidados relacionados com o bem-estar, destacamos:

Ajude a manter a higiene

Com o avançar da idade, os gatos podem ter a sua mobilidade reduzida, o que pode traduzir-se numa maior dificuldade para continuarem a realizar a sua higiene de forma autónoma. Procure manter as unhas do seu gato aparadas, bem como o seu pelo escovado e limpo. 

A escovagem diária ajuda a remover os pelos soltos, evitando que o seu gato engula e desenvolva as chamadas bolas de pelo.

As tosquias higiénicas podem ser uma mais-valia no gato idoso, uma vez que contribuem para evitar a propagação de bactérias e maus odores. Facilita também a limpeza das zonas íntimas após o uso da caixa de areia e evitam a formação de nós no pelo.

A utilização da caixa de areia pode ser dificultada pela redução da mobilidade e dores nas articulações. Opte por uma caixa de areia com menor profundidade ou com uma entrada mais baixa para facilitar o acesso.

Adapte o comedouro e o bebedouro

O uso de suportes para elevar as taças são uma ótima opção para manter o esófago e o estômago nivelados, evitando refluxos e problemas digestivos. 

Se for necessário, deve colocá-los mais perto da cama para diminuir as deslocações. 

Facilite o acesso aos locais

Facilite o acesso do seu gato aos locais da casa que ele sempre gostou, em especial os que se encontram em níveis mais altos, como o sofá ou a cama do tutor, se for o caso. Tendo em conta que a sua mobilidade está mais reduzida, utilize bancos auxiliares para reduzir a altura, tornando o acesso mais fácil.

Dê carinho ao seu gato

Lembra-se das vezes que o seu gato pareceu adivinhar que precisava de carinho? Agora é ele que precisa de si. Encha o seu gato de mimos e demonstre o seu afeto sempre que puder.

Ao perder a vitalidade e passar por transformações físicas, o seu gato precisa de apoio. E ninguém melhor que o tutor para garantir todo o carinho que é necessário.

Procure ser paciente e compreender as transformações pelas quais o seu gato está a passar. Com os cuidados de saúde e bem-estar necessários, a vossa relação continuará a ser a especial.

Além dos cuidados de saúde, o afeto dos tutores é de extrema importância para garantir o bem-estar do gato idoso

O apoio profissional é fundamental para ajudar os tutores a garantirem a saúde e bem-estar dos gatos idosos. 

Quando o seu gato entra na fase sénior, as consultas de geriatria são uma mais-valia tanto para o animal quanto para o tutor.

Conte com profissionais experientes para esclarecer as suas dúvidas sobre a alimentação do gato idoso e outros cuidados a ter na fase sénior.

Na Agrivet, temos consultas de nutrição e de geriatria para acompanhar e cuidar da saúde do seu gato idoso para que ele viva com uma melhor qualidade de vida.  Fale connosco ou faça-nos uma visita. 

Estamos presentes em Torres Vedras, no Hospital Veterinário com atendimento permanente 24 horas, e em Mafra, na Clínica Veterinária. 

 A leitura deste artigo não substitui a consulta com um médico veterinário que poderá aconselhar sobre os cuidados a ter com o seu gato na fase sénior, tendo em conta a idade, género, raça e historial clínico. 

Artigos Relacionados

Consultas, Exames e tratamentos em casa